Community Manager da Páginas Amarelas

Ser gestor de comunidades online tem muito que se diga…Depois da sua participação no último chat-colóquio da 1ª Bolsa Virtual de Empreendedorismo Universia, Bruno Brito, Community Manager do Truvo, diz-nos o que é preciso para ter sucesso nesta área.

Sobre o mote “Community Manager – Qual o perfil?“, a ideia principal desta sessão era abordar de uma forma descontraída as novas abordagens de Community Management, sem esquecer os aspectos comerciais das comunidades disponíveis na internet, como o Facebook ou o LinkedIn. Depois do chat-colóquio, fomos falar com o Bruno Brito e deixamos-te aqui, a entrevista:

PA: Como é que correu a tua participação?

BB: A participação correu bem, foi uma experiência positiva. Acho o conceito interessante, algumas pessoas podem estranhar o facto de falarem para uma webcam e do outro lado receberem texto, mas penso que os mais habituados às novas tecnologias não ficarão surpreendidos.

PA: Que tipo de perguntas te foram colocadas durante a sessão?

BB: Os participantes deste chat-colóquio estavam interessados em saber se as Páginas Amarelas faziam estágios, se eram só em Marketing, se eram remunerados e como era o processo de candidatura. Estavam essencialmente preocupados com uma eventual admissão, o que faz sentido até por se tratar de um target recém-licenciado. As questões foram respondidas conjuntamente com a minha colega Ana Benoliel, que me acompanhou neste chat e pertence ao departamento dos Recursos Humanos das Páginas.

PA: Estás a desempenhar as funções de Community Manager à sensivelmente 6 meses, é a tua primeira  experiência nesta àrea?

BB: A gerir Comunidades, não. Já há uns anos que fazia algumas funções de Community Manager, devido a um projecto a que estou ligado desde 2006 o do Wrestling Portugal. Essa experiência foi sem dúvida muito importante, porque ganhei sensibilidade em lidar com pessoas de todo o tipo à distância, aprendi a gerir conflitos entre membros e a guiá-los, a mostrar-lhes o caminho. Na minha opinião, um CM deve ser de certa forma um líder, para o seguirem, não querendo com isso dizer que deve estar sempre activamente presente- e com o tempo ganhei esse equilíbrio.

PA: Na tua opinião quais são as principais responsabilidades de um CM?

BB: De certa forma a profissão ainda está a conhecer os seus limites, mas as prioridades são assegurar que a comunidade contribui no projecto, ao premiar aqueles que mais se esforçam, incentivando também os menos motivados e gerindo os eventuais conflitos pelo caminho. É um pouco como ser o anfitrião de uma festa.

Bruno Brito, Community Manager e Ana Benoliel Branding, Hiring & Integration Administrator da Páginas Amarelas
Bruno Brito; Community Manager e Ana Benoliel; Branding, Hiring & Integration Administrator da Páginas Amarelas

PA: Quais os requisitos para ser um bom CM?

BB: Flexibilidade. É importante ser multi-facetado. É bom ter noções de marketing, gostar e conhecer bem o mundo da Web, mas também tem de escrever bem (seja um tweet de 140 caracteres ou um blog post de 1.000), saber falar em público, ter algum tacto para psicologia/sociologia, gostar de socializar e… ser muito criativo!

PA: Como é que é o dia de um CM? Quais as principais tarefas?

BB: Os meus dias nunca são iguais é muito difícil pensar num dia de rotina. Existem algumas tarefas que tenho de fazer diariamente, como controlar a página do Facebook, o Blog, o Twitter, moderar os novos reviews inseridos no Truvo, ver se há e-mails com questões dos utilizadores… mas depois, há tudo o resto- seja traduzir conteúdos de uma nova versão do truvo.pt (há uma nova por mês), pensar em novos passatempos, preparar e realizar palestras em universidades, feiras… o limite é de facto a nossa criatividade, porque somos nós que “criamos” o trabalho.

PA: Se tivesses que salientar um factor de sucesso do Truvo, qual seria?

BB: O Truvo preenche uma lacuna em Portugal- é uma rede social onde podemos falar sobre os locais que gostamos (ou não) e especialmente conhecer outros que nos darão vontade de visitar ou evitar. As pessoas gostam de sair, de explorar, mas nem sempre têm ideias e o Truvo ajuda nesse departamento- quanto mais contribuição existir, mais credível e forte o site fica e mais pessoas pode ajudar.

PA: Se não fosses Community Manager o que serias?

BB: Apesar de também ser DJ, blogger, lutador de wrestling e comentador desportivo, sempre me imaginei a fazer algo relacionado com Marketing Online- porque junta 2 tópicos que adoro. Ser CM é a cereja no topo do bolo, mas se não tivesse essa sorte, acredito que estivesse a fazer algo similar, ou continuaria a trabalhar para isso!

Queres fazer alguma pergunta ao Bruno Brito, o nosso Community Manager? Aproveita agora para deixar um comentário.

4 thoughts on “Community Manager da Páginas Amarelas

  1. Boas.
    Estou no curso de marketing, e gostava de saber o que achas do impacto que um CM tem numa rede Social.
    Agradeço a resposta.
    Um abraço

  2. Olá José,

    Obrigado pela tua questão.

    O impacto do CM numa rede social será muito variável- vai depender da comunidade e da visibilidade que o CM quer ter.

    Por exemplo, se se tratar de uma comunidade muito activa e auto-suficiente, que tem interacções constantes, lança tópicos, debates, etc, é natural que o CM apenas intervenha para a optimizar, removendo as interacções impertinentes e premiando discretamente aqueles que mais merecem, tendo um papel pouco visível.

    Se, por outro lado, tivermos uma comunidade pouco participativa, a visibilidade terá que ser maior, lançando tópicos, criando desafios e realizando competições para dinamizar os membros.

    Espero ter respondido à tua questão- qualquer dúvida, estou por aqui! :)

    Cumprimentos,
    Bruno Brito

  3. Boa noite Bruno,

    Estive a ler a entrevista e a conhecer um pouco mais a profissão de CM, que achei interessantíssima! Revejo-me bastante nesse conceito.

    Sei que esta entrevista tem alguns meses, mas gostaria de saber se existem algumas vagas abertas na área do marketing ou outro departamento e como podemos tomar conhecimento das mesmas. Peço desculpa pela abordagem, mas penso que o blog pode ter também este objectivo!

    Sendo assim aguardo atentamente por uma resposta da vossa parte.

    Obrigada!

    Filipa

Leave a Reply