7 Tendências do Marketing Digital para 2015

7 Tendências do Marketing Digital para 2015

Já é costume virar o ano e começar a fazer projecções do que se vai passar em 2015. Sendo a Páginas Amarelas, o principal directório de empresas portuguesas online e uma Agência que apresenta soluções de Marketing Digital para essas mesmas empresas, não podiamos deixar de fazer as nossas projecções de 2015 para o Mundo Online e isso quer dizer apenas uma coisa: quais vão ser as principais tendências de Marketing Digital em 2015?

Mais do que conjecturar, o importante é percebermos as tendências a nível global, pois eventualmente chegarão a Portugal, mas também a nível local, exactamente porque é importante focarmo-nos na realidade das empresas portuguesas e na sua presença na internet.

Então, e sem mais demoras, aqui ficam as 7 Tendências de Marketing Digital para 2015:

wereables e conexaoplataformas

1. Conexão de Plataformas

Com a diversificação e proliferação de diferentes tipos de dispositivos com acesso a internet vem uma nova mudança – a conexação destas diferentes plataformas. Preparem-se que agora é a sério:

  •  ‘Wereable tech’ – como por exemplo os relógios inteligentes que monitorizam actividade física, permitem fazer chamadas, aceder a mapas e ver o estado do tempo, mas o conceito pretende estender-se a outros acessórios, como pulseiras e até mesmo anéis.
  • Connected Cars’ O computador de bordo começa a ser um ponto de conexação cada vez maior com o exterior, através da sincronização com o smartphone e acesso a serviços cloud, que vão desde serviços com utilidade para a própria experiência automóvel, como postos e preços de gasolina, tráfego, notícias, e utilidades de puro entertenimento em viagem.
  • Smart TV’ – Aqui mora uma oportunidade de casar a televisão com jogos, vídeos e internet. Basicamente uma versão Híbrida da televisão, que permite um acesso integrado a conteúdo interactivo proveniente das diferentes plataformas. Com isto vem também a nova tendência – transmissão de conteúdos em Ultra HD e 4K.

 

mobile e pesquisa local

2. Mobile e a Pesquisa Local

A época é a da Febre  Mobile em que o ideal é aceder em movimento, seja com telemóveis ou tablets, e a tendência é,  citando o Google,  a ‘Internet of Me.

O imediato é cada vez mais imediato, tanto que as pesquisas tendem a querer respostas ainda mais para o momento.

Não só 1 em cada 5 pesquisas são locais, como a demanda de serviços de entregas gratuitas e no próprio dia cresceu, assim como a expectativa de suporte 24h em serviços de empresas online. Os Smartphones estão mais ‘espertos’ e os utilizadores exigem, ao mesmo ritmo, soluções  rápidas, fáceis e simples!

 

Big Data

3. Big Data ainda mais ‘Big’

A  noção da ‘Big Data’  já chegou a Portugal, mas provavelmente muitos nem a conhecem pelo nome. ‘Big Data’ é  um conjunto de dados ou informação cujas soluções se baseiam em 3Vs: Volumetria, Variabilidade e Velocidade. O desafio é a utilização e actualização desses dados a larga escala, em diversos tamanhos e formatos com o intuito de tratar essa informação e estabelecer objectivos com base na mesma.

Acrescentamos, porém, aqui um 4ºV: o Valor! O real valor da ‘Big Data’ depende das pessoas, processos e tecnologias por trás dela e muita da informação digital existente é criada de consumidores para consumidores, daí que as empresas tenham de analisar o target, os canais, seja email ou redes sociais, e formatos apropriados, mero powerpoint ou um filme em formato vídeo, para veicular a sua informação.

Basicamente o que temos a reter é o seguinte: cada empresa tem de perceber as suas limitações a nível de sistema de envio e armazenamento, as suas necessidades e os interesses dos seus clientes, para poder aplicar o melhor tipo de formato de grande informação e adequar o melhor canal para divulgar o mesmo, tendo em conta os 4Vs, de modo a obter conversão e informação credível para poder traçar novos objectivos.

 

marketing conteudo

4. Conteúdo – Quantidade vs Qualidade

Já todos ouvimos dizer que O Conteúdo é Rei ,mas este por vezes pode ser o Rei.. da sucata!

Cada vez mais há que trabalhar a qualidade de conteúdo, pois caso contrário, com o crescente focus dos  Marketeers e Agências de Marketing Digital em Marketing de conteúdo, quem não o faça vai ficar fora da corrida.

Além dos pontos chaves que já todos sabemos relacionados com SEO, com a relevância do conteúdo para o utilizador e com a credibilidade das fontes, existem pontos adicionais a ganhar  importância:

  • A originalidade de conteúdo – quando falamos de conteúdos inclui-se não só a criatividade da escrita, mas o seu ambiente envolvente, como o conteúdo reach media, tais como vídeos, imagens ou catálogos.
  • A integração de contéudos – o fluxo de conteúdos deve ser constante e deve-se traduzir nas várias plataformas de comunicação de uma empresa, desde o blog ao site e ainda nas páginas de redes sociais. Deve haver uma identidade coerente nas várias presenças e o envolvimento com o conteúdo deve ser conseguido em todas elas.
  • Identificação instantânea  -com tanta informação a circular na internet, o utilizador tem de se identificar com o conteúdo no primeiro instante. Isto significa que o conteúdo tem de ser relevante logo nas primeiras linhas. A identificação nem sempre é um benefício directo e comercial para o utilizador, mas uma emoção que provoque impacto na mente do consumidor.
  • A quantidade – por mais que a qualidade seja um factor de crescente importância para conseguir destaque, a quantidade não deixa de ter a sua importância e há uma necessidade crescente de ampliar o alcance dos conteúdos através de anúncios pagos, já que começa a haver uma sobre-lotação de alcance orgânico tanto nos motores de busca como nas redes sociais.

 

micro_targeting

5. Micro-targeting

Assim como existem diversos sectores de actividade, existem diversos consumidores desses diferentes sectores. Ou seja, nem toda a gente pesquisa pelo mesmo num motor de busca ou quer comprar os mesmos produtos. Daí que seja importante para uma empresa a definição de personas que representem os ‘clientes modelo’ do seu segmento de negócio. O focus em nichos específicos com interesse no seu serviço ou produto vai permitir a melhor adequação da comunicação e a angariação de novos clientes.

 

ublicidade online personalizada

6. Personalização da Publicidade Online

Assim como no marketing de conteúdo, as campanhas de publicidade online têm de primar cada vez mais pela originalidade e customização, caso contrário, o seu anúncio será apenas mais um num mar de anúncios. Para conseguir publicidade eficaz deve investir , ainda mais, em ferramentas de análise de tendências de pesquisa, intenção de compra, sazonabilidade e frequência de utilização de internet, assim como perceber o papel dos motores de pesquisa no processo de compra e o impacto visual dos anúncios.

O ideal é, além do investimento em maior diversidade de posicionamento e tipologia de anúncios,  ter mais que uma ideia e aplicar testes A/B, para perceber que erros evitar na publicidade online e que versões do seu anúncio conseguem maior taxa de cliques ou mais leads, conforme o seu objectivo.

 

redes sociais portugal

7. Desmistificação do Social

Em Portugal, o papel das  redes sociais  no mundo empresarial, até agora, baseou-se mais numa ‘crendice’ que qualquer outra coisa, mas as empresas começam a perceber a importância de não só estar nas redes sociais, mas em saber estar, valorizando uma gestão profissional e uma imagem credível.

Em 2015, as empresas que não quiserem investir numa boa estratégia de redes sociais não vão conseguir milagres. O efeito ‘agulha no palheiro’ que existia nos resultados orgânicos do Google, começa-se a espalhar ao mundo social, e qualquer empresa que apenas crie um perfil para servir de montra no facebook, não conseguirá qualquer tipo de visibilidade orgânica no feed de notícias, ou retorno, antes pelo contrário, ainda corre o risco de ter o seu perfil bloqueado e poderá ter um efeito negativo na mente do consumidor.

O ideal é ter à frente da gestão da sua presença nas redes sociais,  um Community Manager  com experiência. Por exemplo, no que toca ao Facebook é essencial um conhecimento real do algoritmo do Facebook,  das suas funcionalidade, do  gestor de anúncios e analytics do Facebook,  para que o mesmo consiga elaborar a melhorar estratégia para a sua empresa nesta rede social.

 

Um parceiro que acompanha o seu negócio nas tendências

Depois de todas estas projecções só resta fazer uma pergunta:  a sua empresa está a acompanhar as Tendências do Marketing Digital no mundo empresarial?

As Páginas Amarelas não só estão a par das Tendências de Marketing Online, como sabem aplicar o seu conhecimento a qualquer tipo de empresa portuguesa, nos mais diversos sectores.

Contacte-nos gratuitamente para destacar o seu negócio online e conseguir mais clientes!

Leave a Reply